Loading...
LETRA

A E
Eu tenho em meu escritório, em cima da minha mesa
E7 A
A miniatura de um carro, que a todos causam surpresa
E A
Muitos já me perguntaram, o motivo porque foi
E E7 A
Que eu sendo um doutor formado, gosto de um carro de boi
E A
Respondi foi com o carro, nas estradas a rodar
E A
Que meu pai ganhou dinheiro, pra mim poder estudar
| E E7 A
Enquanto ele carreava, passando dificuldade
E A
As lições eu decorava, lá nos bancos da faculdade

Falado
"Aohhh, meus amigos, essa é a história de um filho que reconheceu o trabalho de seu pai"
A E
Entre nossas duas vidas, existe comparação
E7 A
Hoje eu seguro a caneta, como se fosse um ferrão
E A
Nos riscos de minha escrita, sobre a folha rabiscada
E E7 A
Eu vejo os rastros que os bois, deixavam pelas estradas
E A
Feichando os olhos parece, que vejo estrada sem fim
E A
E um velho carro de boi, cantando dentro de mim
E A
Em meus ouvidos ficaram, os gemidos de um cocão
E E7 A
E o grito de um carreiro, ecoando no grotão
E A
Se tenho as mãos macias, eu devo tudo a meu pai
E A
Que teve as mãos calejadas, no tempo que longe vai
E A
Cada viagem que fazia, naquelas manhãs de inverno
E E7 A
Era um pingo do meu pranto, nas folhas do meu caderno
E E7 A
Meu pai deixou essa terra, mais cumpriu sua missão
E E7 A
Carreando ele colocou, um diploma em minhas mãos
E E7 A
Por isso guardo esse carro, com carinho e muito amor
E E7 A (E) (A)
É lembrança do carreiro que de mim fez um doutor.