Loading...
LETRA

Em um mil e novecentos
No estado da Bahia
Um ricaço fazendeiro
Por nome de Jeremias
Leu a sorte do seu filho
Com a cigana Maria

Ela disse, meu amigo
Me corta o coração
Mas se veio pra saber
Vou lhe dar a explicação
O seu filho vai morrer
Nos chifres do boi Tufão

Fazendeiro Jeremias
Mandou chamar o empregado
Vai buscar o boi Tufão
Deixa ele encurralado
Amanhã rompendo o dia
O boi vai ser degolado

O moço era obediente
No cavalo foi montando
Saiu pelo pasto afora
Com o coração sangrando
Desceu o chapéu no rosto
Pra ninguém lhe ver chorando

Mataram o boi Tufão
Os anos foram passando
A cabeça do animal
No quintal ficou rolando
Naquele mesmo lugar
Menino estava brincando

E na hora do almoço
A sua mãe lhe chamou
Garoto saiu correndo
Numa pedra tropeçou
Caiu na ponta do chifre
Do boi que seu pai matou

Naquele sertão bravio
Nada puderam fazer
Foram chamar o doutor
Ele não pôde atender
O seu pai em desespero
Vendo seu filho morrer

Menino falou baixinho
Papai preste atenção
Eu vou pra junto de Deus
Me tenha no coração
Meu destino era morrer
Nos chifres do boi Tufão