Loading...
LETRA

No se da ni cuenta que cuando la miro
Por no delatarme me guardo un suspiro
Que mi amor callado se enciende con verla
Que diera la vida para poseerla.

No se da ni cuenta que brillan mis ojos
Que tiemblo a su lado y hasta me sonrrojo
Que ella es el motivo que a mi amor despierta
Que ella es mi delirio y no se da cuenta.

Esta cobardía de mi amor por ella
Hace que la vea igual que una estrella
Tan lejos, tan lejos de la realidad
Que no espero nunca poderla alcanzar.

Esta cobardía de mi amor por ella
Hace que la vea igual que una estrella
Tan lejos, tan lejos de la realidad
Que no espero nunca poderla alcanzar.

No se da ni cuenta que siempre ha tenido
Los miles de besos que no me ha pedido
Que en mis noches tristes desiertas de sueño
Que en loco deseo me siento su dueño.

No se da ni cuenta que ya la he tomado
Que ha sido mía sin haberla amado
Que es su alma fría la que me atormenta
Que ve que me muero y no se da cuenta.

Esta cobardía de mi amor por ella
Hace que la vea igual que una estrella
Tan lejos, tan lejos de la realidad
Que no espero nunca poderla alcanzar.

Esta cobardía de mi amor por ella
Hace que la vea igual que una estrella
Tan lejos, tan lejos de la realidad
Que no espero nunca poderla alcanzar.

TRADUÇÃO

[Essa covardia]
Não se dá nem conta que quando a vejo
p'ra não delatarme eu guardo um desejo.
Meu amor perdido se acende ao vêla.
Daria a vida para possuíla.

Não se dá nem conta que brilha minh'alma,
tremoa seu lado e me foge a calma,
que ela é o motivo que o amor desperta,
que ela é o meu delirio e depois deserta.

Essa covardia do meu amor por ela
faz com que a veja igual a uma estrela:
Tão longe, tão longe que ela está
que eu espero nunca podêla alcançar.

Essa covardia do meu amor por ela
faz com que a veja igual a uma estrela:
Tão longe, tão longe que ela está
que eu espero nunca podêla alcançar.

Não se dá nem conta que sempre tem sido
negarme as coisas que tenho pedido,
e que em noites tristes vazias de sono
eu amo sozinho e me sinto seu dono.

Não se dá nem conta como a tenho amado,
que já conversamos sem termos falado,
que é su'alma fria o que me atormenta,
esse jeito louco que sempre me tenta.

Essa covardia do meu amor por ela
faz com que a veja igual a uma estrela:
Tão longe, tão longe que ela está
que eu espero nunca podêla alcançar.

Essa covardia do meu amor por ela
faz com que a veja igual a uma estrela:
Tão longe, tão longe que ela está
que eu espero nunca podêla alcançar.


Album: LIBRA (1985)