Loading...
LETRA

Nas roupas de cama do nosso aposento
Ainda existe um pouco de acalento
Pois sinto ainda o perfume seu
E no calendário marcado com um X
O dia e o mês que muito me diz
Pois marca a hora do seu triste adeus

E no guarda-roupa,se abro eu vejo
O casaco verde que ela deixou
Soberbo parece conversar comigo
Querendo provar que é meu amigo
Pois,somente ele não me abandonou

Casaco verde,verde esperança
Fiel companheiro da minha agonia
Você é apenas pedaço de pano
Porém a saudade,cruel desengano
Pois me lembra o corpo que você cobria

Nas noites quentes ou noites frias
Para mim é sempre noites de agonia
Como um sonambulo passo acordado
Já virou rotina,não é mais surpresa
Os vizinhos verem as luzes acesa
Pois sabem que estou quase alucinado

E nas madrugas já é meu costume
Ir ao guarda-roupa perto da janela
E voltar pra cama beijando o casaco
Para adormecer com ele nos braços
Sonhando estar dormindo com ela

Casaco verde,verde esperança
Fiel companheiro da minha agonia
Você é apenas pedaço de pano
Porém a saudade,cruel desengano
Pois me lembra o corpo que você cobria