Loading...
LETRA

Eu entrei na terra bruta
Dei o sangue, dei a vida
Lá no chão joguei semente
Na mesa virou comida
Eu vesti com roupa verde
A terra velha esquecida
Com a força de um leão
Derramei suor no chão
Lutando pela nação
Da balança colorida

O governo incentivou
Eu na terra investia
Maquinário financiado
Trabalhando noite e dia
Eu trabalhava dobrava
O juro também crescia
Meu compromisso subindo
Valor da safra caindo
Não estava conseguindo
Pagar o que eu devia

Eu deitava e não dormia
Me deu saudade da enxada
Com ela eu comprava tudo
E ela não foi financiada

Lá no banco infelizmente
Estou devendo até o pescoço
Pra poder comer na janta
Preciso vender o almoço
Levaram o filé mignon
Eu fiquei roendo o osso
Sei que o plano deu certinho
Pros homens do colarinho
Estou sem terra e sem caminho
Aqui no fundo do poço

Me chamam de caloteiro
Também de mau pagador
O agente financeiro
Quantas vezes me cobrou
Eu nunca fui desonesto
Sempre fui trabalhador
Meu drama é verdadeiro
É grande meu desespero
Eu posso não ter dinheiro
Mas caloteiro eu não sou