Loading...
LETRA

De insensíveis
Este mundo está repleto
Tem gente que passa perto
De uma rosa, sem olhar
Não ouve o canto
Do sertão fazendo festa
Não vê cores na floresta
Nem beleza no luar

E nem percebe
Que a gota de orvalho
Tremulando cai do galho
Quando Deus determinar
Estes pertencem
À legião dos insensíveis
Tantas belezas visíveis
Não sabem admirar.

Mar solte a voz
Pra despertar quem esta dormindo
Sol, astro rei, derrame a luz e o chão clareie
Céu mande a cor para que os olhos dessa gente
Possam enxergar que somos simples grão de areia

Eu tenho pena de quem pisa o chão do mundo
Sem saber quanto é profundo o motivo de existir
Sem contemplar o pôr do sol atrás da mata
O barulho da cascata sobre as pedras ao cair

Feliz daquele que tem sensibilidade
Pra entender que a saudade é o caminho pra voltar
Pra encontrar ao galopar do pensamento
Nos confins do firmamento
A morada do luar

Mar solte a voz
Pra despertar quem está dormindo
Sol, astro rei, derrame a luz e o chão clareie
Céu mande a cor para que os olhos dessa gente
Possam enxergar que somos simples grão de areia.