Loading...
LETRA

Quanto mais o tempo passa
Mais aumenta a vontade
De deixar esta cidade e voltar pro interior
No lugar de fumaceira, desta vida agitada
Vou andar pela invernada
E sentir cheiro de flor

É isso que vou fazer, não estou mais indeciso
Volto a viver no mato, meu sítio, meu paraíso

De manhã quando levanto
Não me levanto sozinho
Pois escuto os passarinhos
Alegrando a madrugada
Feliz vou lá pro curral
Recolho as vacas leiteiras
Eu adoro a barulheira do mugir da bezerrada

É isso que vou fazer, não estou mais indeciso
Volto a viver no mato, meu sítio, meu paraíso

Quando é de tardezinha, pego a tralha de pescar
Com a matula no embornal
Eu vou lá pro ribeirão
Jogo farelo no poço, a peixarada se assanha
E eu que conheço a manha pego peixe de montão

É isso que vou fazer, não estou mais indeciso
Volto a viver no mato, meu sítio, meu paraíso

Aos domingos lá no sítio é daqui bem diferente
A gente passa contente, rodeado de amigos
Pescando e jogando malha, oh! quanta felicidade
É por isso que a saudade até hoje está comigo