Loading...
LETRA

Eu fiz de coqueiro e de tabatinga
Lá na restiga, a minha paioça
Também fiz de lenha
O forno e fogão
Um grande pilão de Peroba grossa
Fiz um jardim
Uma cúia bonita
Osso de sarilho e uma carroça
No fundo um chiqueiro
Quanto empurrar o grande ideal
Do homem do roça

Eu fiz engenhoca
E um de samurá
E um moinho de fubá
E um pequeno seleiro
Fiz carro de boi
Fiz canga e cansil
De algodão, paviu
Para o candieiro

Fiz um mata-burro
E um cocho do lado
Um puleiro pro galo
O galo não achei
Fiz um puxado
E cobri de palha
Pra guardar a tralha
De uso roceiro

Plantei um pomar
E um pé no jardim
Um pé de Jasmim
Pra horar o sertão
Também a banheira
No fim do terreiro
Um par de pinheiros
Perto do portão

Pra orta eu fiz,
Com capicho os canteiros
O mate rasteiro plantei no rachão
Dois pé de café, um arroz e um trigo
Meu caro amigo, plantei um espigão

Aqui a minha vida
Tem paz de verdade
Com mais liberdade
Respeitando ao seu
Quero dormir,
Respirando pureza
Curtindo as belezas
Dos dias mils

Sou homem do campo, cabloco maduro
E cultivo os frutos para os filhos teus
Sou vizinho da noite e da natureza
E com toda certeza inquilino de Deus