Loading...
LETRA

Eu Nasci lá na cidade e me casei na serra
Com minha Mariana, moça lá de fora
Um dia estranhei os carinhos dela
E disse "adeus Mariana, que eu já vou embora"

Prosa declamada
"Alô! Pedro Raimundo, onde Você estiver
aqui vai a singela homenagem deste seu colega Goiano
Lindomar Castilho. Com toda a Sinceridade"

É gaúcha de verdade de quatro costados
Ela usa chapéu grande, bombacha e espora
E eu que tava vendo o caso complicado
Disse "adeus Mariana, que eu já vou embora"

Olha aí, Pedro Raimundo! Através do seu Adeus Mariana
quero estender a minha homenagem também ao seu povo
Aos gaúchos de todo o nosso querido e imenso Brasil

Nem bem rompeu o dia e me tirou da cama
Encilhou o tordilho e saiu campo afora
Eu fiquei zangado e saí dizendo
"Adeus Mariana, que eu já vou embora"

Oi, Sô! Cuidado com a Mariana, que ela tem uma Açoiteira!

Ela não disse nada, mas ficou cismando
Que era dessa vez que eu daria o fora
Pegou uma açoiteira e veio contra mim
"Me larga Mariana, que eu não vou embora"

Eita, Mariana Danada. Adeus Mariana
E pode ir trabaiá, que lá em casa basta eu, sô!

Ela ficou danada e foi quebrando tudo
Pegou a minha roupa e jogou porta afora
Eu fiz uma trouxa e saí dizendo
"Adeus, Mariana que eu já vou embora"