Loading...
LETRA

Avrai gli occhi di tuo padre
E la sua malinconia
Il silenzio senza tempo che pervade
Al tramonto la marea
Arriverai
Con la luna di settembre
Che verserà
Il suo latte dentro me
E ti amerò
Come accade nelle favole per sempre...

Ti aspetterò
Senza andar via
Come fanno già le rondini nell'aria
Nella terra mia
Che invecchia ma
Sulla scia di un'altra età ballando sogna
Mentre la tenera luce dell'est
All'alba illumina speranze e ginestre
E il cielo è così
Celeste...
Celeste...

Avrai libri, sandali e secchielli
Luminosi "amarcord"
Saranno neri come i miei i tuoi capelli
Ma in un attimo lo so
Volerai via
Verso l'isola lontana
Di una città
Come ho fatto un giorno anch'io
Amore mio
Perché il sole può scordarsi della luna...

Ti aspetterò
E prima o poi
Arriverai senza nemmeno far rumore
Ti sentirò
E resterai
Mentre ormai le foglie cambiano colore
Al mio paese che ancora non sai
Dove l'autunno odora di caldarroste
E il cielo è così... celeste!

Come il soffio della vita
Che spalanca anche le imposte
E a sorridere ti invita
Anche quando non lo vuoi
Questo vento innamorato
Che anche tu respirerai
Che respirerai

E poi avrò il coraggio di aspettarti ancora un po'
E ti prometto che vedrai dalle finestre
Un cielo così...
Celeste...
Celeste...
Un cielo così
Celeste...

TRADUÇÃO

[Azul-celeste]
Você terá os olhos do seu pai
E a sua melancolia
O silêncio sem tempo que invade
Ao pôr do sol a maré
Você chegará
Com a lua de setembro
Que derramará
O seu leite dentro de mim
E amarei você
Como acontece nas fábulas para sempre...

Esperarei por você
Sem ir embora
Como já fazem as andorinhas no ar
Na minha terra
Que envelhece, mas
Na esteira de uma outra era, dançando, sonha
Enquanto a luz delicada do leste
Ilumina na aurora as esperanças e as giestas
E o céu é tão
Azul-celeste...
Azul-celeste...

Você terá livros, sandálias e baldes
Luminosas recordações do passado
Serão negros como os meus os seus cabelos
Mas, em um instante, fico sabendo
Você irá embora voando
Em direção à ilha distante
De uma cidade
Como eu também fiz um dia
Meu amor
Porque o sol pode se esquecer da lua...

Esperarei por você
E cedo ou tarde
Você chegará sem nem fazer barulho
Sentirei você
E você ficará
Enquanto as folhas já mudam de cor
Na minha aldeia que você ainda não conhece
Onde o outono cheira a castanhas assadas
E o celo é tão... azul-celeste!

Como o sopro da vida
Que escancara até as persianas
E, sorrindo, convida você
Até quando você não quer
Este vento apaixonado
Que você também respirará
Que você respirará

E então terei a coragem de esperar por você mais um pouco
E lhe prometo que você verá das janelas
Um céu tão...
Azul-celeste...
Azul-celeste...
Um céu tão
Azul-celeste...