Loading...
LETRA

D'ici rien ne part, rien de bouge
Arrêt sur écran vivant
Isolée, vaincue, sans doutes
Aliénée, pas même un battement
J'aimerai qu'on me ramène
Je ne reconnais plus les gens
Seule tout au fond de ma haine
La peine est mon dernier amant
Il faudrait que je me lève
Respire et marche vers l'avant
Bâtisse a nouveau la grève
Enterrée par mes sables mouvants
Et me souvenir celle
Qui n'existe plus vraiment
Redevenir la rebelle
Et la bête vaincue par l'enfant
J'y crois encore
On est vivant tant qu'on est fort
On a la foi quand on s'endort la rage au ventre
J'y crois encore
A tout jamais
Jusqu'à la mort
Le silence a eu tort
J'y crois encore
Et que le l'espace où j'en crève
Devienne un autre néant
Quand le ciel dévoile soulève
En moi l'âme et l'émoi d'un géant
Me retourner sans un geste
Le passé m'en passer vraiment
Cracher sur tout ce qui blesse
Ramener le futur au présent
{Refrain}
J'y crois encore
A tout jamais
Encore plus fort
Le silence a eu tort
J'y crois encore

TRADUÇÃO

[J'y Crois Encore]
Aqui nada fala, nada se move
Parada sobre a tela viva
Estou isolada e vencida, sem sombra de dúvida alienada
Não tenho a mesma pulsação
Queria que você me trouxesse de volta
Eu não reconheço mais as pessoas
Estou completamente sozinha com meu ódio
A pena é meu último amante
Seria necessário que eu me levantasse
Que eu respirasse e andasse para frente
Que eu construisse para enterrar a greve
Na minha areia movediça.
E as lembranças que eu tenho dela
Que realmente não existem mais
Me transformam de novo na rebelde
E na idiota, na criança derrotada
Eu ainda acredito
Que a força existe enquanto se vive
Que a fé existe enquanto se dorme
A raiva no ventre
Eu ainda acredito
Nunca em tudo, até à morte
O silêncio faltou
Eu ainda acredito
E que o lugar da minha morte
Vai virar outro nada
Quando o céu abrir, quando ele me elevar
O amor é a agitação de um gigante
Vou voltar sem uma história
Passar o meu passado realmente
Cuspir em todos aqueles que ferem
Trazer o futuro para o presente
Refrão:
Eu ainda acredito
Que a força existe enquanto se vive
Que a fé existe enquanto se dorme
A raiva no ventre
Eu ainda acredito
Nunca em tudo, até à morte
O silêncio faltou
Eu ainda acredito

Eu ainda acredito que
Pra sempre serei mais forte
O silencio faltou
Eu ainda acredito