Loading...
LETRA

Quando as folhas começam a cair e o vento as carrega do chão
A saudade se agita em meu peito
E me leva de volta ao sertão
Onde o canto de algum sabiá canta fortes as histórias de lá
Como quem se confessa com Deus através de uma oração
Onde o sol queima tudo prá ver
Onde a vida consegue nascer
Nem que seja no meio das pedras sem chuva sem regação
Há se eu pudesse voltar no tempo
Viver cada momento que a lembrança me traz agora
Há eu seria outra vez menino com direito aos meus desatinos
E correr pelo campo a fora
Sei que o rio navega pro mar sei que o sonho não pode morrer
É por isso que tem certas coisas que a gente não pode esquecer
Como um carro de boi chevedor como o desabrochar de uma flor
Como o sol por de traz das montanhas dizendo que vai dormir
Andorinhas bailando no céu cantadores cantando com mel
São raízes da terra da gente que a gente não vê aqui.