Loading...
LETRA

Comprei uma mata virgem do coronel bento lira
Fiz um rancho de barrote, amarrei com cipó cambira
Fiz na beira da lagoa, só para pescar traíra
Eu não me incomodo que me chamam de caipira
No lugar que os brutos canta muita gente admira

Quanto mais o tempo passa, mais aumenta a vontade
De deixar esta cidade e voltar pro interior
No lugar de fumaceira, desta vida agitada
Vou andar pela invernada e sentir cheiro de flor

É isso que vou fazer, não estou mais indeciso
Volto a viver no mato, meu sítio, meu paraíso

A dor que eu estou sofrendo é tanta
Que pareçe não ter fim
Passo horas de amargura e choro
Por quem não gosta de mim

Meu coração amoroso, eu penso
Que não vai mais suportar
Já não sei aonde ponho, tanto
Amor que eu tenho pra dar

Paixão, não maltrate assim
Este pobre coração
Quem ama não deve sofre
Sem este amor posso morrer
Sentindo por dentro essa paixão

Paixão