Loading...
LETRA

Casinha simplisinha cavalo bom de cela

Fogão a lenha aceso vejo o céu pela janela

Ao som da cavalgada passando rente a cerca

Adentrando a madrugada

Na bota empoeirada esporas que não ferem

Aos passos do galope as rédeas obedecem

O vento que aqui canta melodias do sertão

Correndo sem destino em meio a plantação

O céu esta pedindo canções ao estrelar

A paisagem inspira e começo a tocar

As palavras se misturam a luz de um lampião

Sentada no sereno ao som de um violão